7 de jan de 2014

Belo Desastre, de Jamie Mcguire

Edição: 1
Editora: Verus
ISBN: 9788576861911
Ano: 2012
Páginas: 392


"Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa. Abby acredita que seu passado sombrio está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com America, sua melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade. Travis Maddox, com seu abdômen definido e seus braços tatuados, é exatamente o que Abby precisa – e deseja – evitar. Ele passa as noites ganhando dinheiro em um clube da luta e os dias seduzindo as garotas da faculdade. Intrigado com a resistência de Abby ao seu charme, Travis a atrai com uma aposta. Se ele perder, terá que ficar sem sexo por um mês. Se ela perder, deverá morar no apartamento dele pelo mesmo período. Qualquer que seja o resultado da aposta, Travis nem imagina que finalmente encontrou uma adversária à altura. E é então que eles se envolvem em uma relação intensa e conturbada, que pode acabar levando-os à loucura."

Eu dispensei a resenha em vídeo pra esse livro porque não acho que vale a pena falar, sendo que posso expressar o que achei da leitura através de palavras. E vamos lá!

Pra começo de conversa: eu sei que não é um livro do meu gênero preferido nem nada parecido, mas eu tô tentando ler um pouco mais do que vocês sugerem e comecei logo por esse gênero "filho de 50 tons de cinza" - que eu particularmente não gosto. 

Abby é uma garota normal, que vive uma vida normal - PERIOD. Na sinopse consta que a Abby não bebe, sendo que ela vira uma caralhada de doses de tequila numa festa, ok, ela continua sendo uma garota normal. Até conhecer o retardado do Travis. Sério, gente, me diz aqui: como tem pessoa que lê esse livro e simplesmente GOSTA do Travis? Meu Deus! O negócio todo começa quando os dois se conhecem, em uma das lutas do Travis e ele fica intrigado com ela. Até aí tudo bem, eu até tava gostando do livro. Daí a autora enrola pra caramba até chegar no clímax da história, que é quando a Abby vai passar 1 mês na casa do Travis e do Shepley (namorado da melhor amiga da Abby, America), o que eu já achei meio ridículo. Quem é que conhece uma pessoa em semanas e aposta que vai ficar 1 mês vivendo com ela? Credo. 



O livro é narrado em primeira pessoa, pelo ponto de vista da Abby e eu até gostei da personagem (apesar dessa absurda necessidade de ser legal e no segundo depois assumir-se uma chata e acabar com a graciosidade da personagem). O que me tirou do sério, da metade pro final, foi o Travis. Depois que eles começam a ter um relacionamento (e espero que saibam que isso não é spoiler), ele simplesmente surta de uma tal maneira que eu ficava irritada lendo. Ele é extremamente possessivo e agressivo - do tipo que se tem algum ser humano falando com a Abby, ele chega dando porrada na MAIOR naturalidade que só existe no mundo da autora. Eu não consegui nem imaginar os motivos pra gostar do Travis, até porque ele é tudo que eu detesto: ciumento, controlador, agressivo, estúpido, machista, etc. A pior cena, de longe, é o belo momento que a Abby tá se arrumando pra sair e ele reclama da roupa dela. E o que ela faz? Ela dá meia volta e TROCA A PORRA DA ROUPA! ELA TROCA A ROUPA, GENTE! Não sou obrigada a esse tipo de ciúme doentio. 



Uma das coisas mais bizarras do livro é que o Travis, até então, é o maior badboy da escola. Daí o cara fica apaixonado, começa a fucking cantar no meio da cantina e TODO MUNDO ACHA LINDO E NORMAL. E esse foi só um exemplo de vários momentos bizarros do livro.
O livro tem como personagens secundários o casal de melhores amigos do casal principal(?), que é a America e o Shepley. E a minha impressão, durante todo o livro, é de que eles só existem pra história não ser repetitiva demais com o casal protagonista. Tem um babaquinha lá que curte a Abby, e tem o Finch, que foi o personagem que eu mais gostei. 



Eu posso pontuar muito mais coisas que me incomodaram do que coisas que me surpreenderam positivamente. Li o livro muito rápido até pouco mais da metade. Daí pra frente, me arrastei, sofri, chorei calada e enfim terminei. Tenho o segundo, narrado pelo Travis e não tô com a mínima vontade de ler; mas, quem sabe um dia, né?!
No mais, Belo Desastre é um livro mais ou menos. Não explora os personagens e quando a autora ousou explorar, só irritou o leitor, porque ela explorou de uma maneira grotesca, fazendo os personagens clichês demais e/ou chatos demais, sem meio termo. O mais bizarro de tudo isso é que eu pedi esse livro porque tanta gente indicou e falou maravilhas que eu precisava ler e tirar minhas próprias conclusões. Daí né...

- Três estrelas em consideração à capa (relação da borboleta presa, o que é um Desastre), pelo Finch e pela leitura rápida.

6 comentários:

  1. Aleluuuuia, alguém pensou a mesma coisa que eu!!! Eu morri pra terminar esse livro, e só terminei pra não deixar nada inacabado em 2014, hahahahahahah. O Travis é um babacão ridículo. Eu odiei, odiei, odiei esse livro e os personagens. E eu tenho certeza de que se eles fossem pessoas reais, O Travis espancaria a Abby. CER TE ZA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também pensei nisso durante a leitura :P Mas pensei bem mais "ah, se eu fosse essa Abby..." Credo!

      Excluir
  2. Bel, eu só discordei em uma coisa (respeitando sua posição, claro): achei a Abby tosca demais e gostei o Travis. A história foi beeeeeeeeem chatinha mesmo, meio sem noção. Dava pra aproveitar o tema das lutas de um jeito melhor, as intrigas familiares (que achei patéticas, por sinal). Essa é a primeira resenha que vejo que tratou o livro da mesma forma que eu vi. Muitas meninas se apaixonaram pelo livro. O que salvou pra mim foi o Travis. O resto ficou meio... Nhé.

    ResponderExcluir
  3. Oi Bel..
    Adorei seu blog..
    Confesso que sempre tive curiosidade com este livro, mas sempre acabava não comprando. Vejo que você não gostou muitttooo..rsrs Mas assim como você já ouvi algumas maravilhas sobre o livro..
    Quem sabe um dia eu leio né..rs
    Bom, se gostar do meu blog, segue também :))

    beijos
    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Que pena que você não gostou Bel! :(
    Eu li e amei. ♥ Talvez meu ponto de vista seja (muito) diferente, ou então eu sou muito lerda pra reparar esses tipos de coisas que você citou. e.e
    Enfim, beijos grandes e boas leituras!! :*

    ResponderExcluir
  5. Dica para quem gostou desse livro: Leia 50 tons de cinza.
    Travis é quase um Christian! Só que menos doentio. Quem gostou do Travis CERTEZA que vai gostar do Christian também.

    ResponderExcluir

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team
alt="Posts Relacionados"/>