20 de mai de 2014

Deixe a Neve Cair, de John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle


Oi gente, tudo bom? 
Essa resenha é a primeira escrita pelo Rafael, meu amigo de longa data e a única pessoa que eu confiei o bastante pra criar um vínculo profissional também. Espero que vocês gostem da resenha!

Edição: 1 Editora: Rocco Jovens Leitores ISBN: 9788579801754 Ano: 2013 Páginas: 336 Tradutor: Mariana Kohnert

Deixe a Neve Cair (Let It Snow) é um livro, como o título já sugere, realmente muito gelado. Piada infame a parte, o livro reúne três contos que se passam no natal com muito frio e muita neve. Cada conto foi escrito por um autor diferente, temos duas autoras: Maureen Johnson e Lauren Myracle e um autor, muito conhecido dos fãs de YA, John Green. Cada conto tem uma história e personagens principais diferentes e o que os une é que todos ocorrem na mesma véspera de natal e outros elementos como locais e pessoas em comum.

O primeiro conto, “O Expresso Jubileu” de Maureen Johnson, conta a história de Jubileu: uma garota de dezesseis anos na véspera de natal. Ela está em casa passando o tempo, enquanto espera para ir a uma festa de na casa do namorado, quando o vizinho chega para avisar que os pais dela, devido a uma confusão, foram presos. Diante do fato, ela precisa ir para a Flórida passar o natal com os avós. Por causa de uma forte nevasca, “a maior nevasca dos últimos cinquenta anos!”, todos os voos foram cancelados e ela vai precisar ir de trem. Durante a viagem, enquanto ela está no vagão restaurante, cercada de frenéticas líderes de torcida, o trem para em razão do acúmulo de neve. Nesse momento, ela decide ir para uma lanchonete na beira da estrada, a Waffle House, para se aquecer e fugir das líderes de torcida (que também acabarão na mesma lanchonete). Na Waffle House, ela acaba conhecendo Stuart: um garoto não muito impressionante aos olhos, pelo menos não comparado ao namorado de Jubileu, mas que lhe oferece a casa para ela ficar enquanto o trem não pode seguir a viagem. A partir desse momento, o conto continua com a história dos dois. O conto, apesar de muitíssimo improvável ao meu ver, é bem sucedido na sua tarefa de entreter e tem diversas passagens bastante engraçadas.

O segundo, “O Milagre da Torcida de Natal” de John Green, conta história de três amigos: JP, Duke e Tobin. Eles estão, na véspera de natal, na casa do último assistindo a um filme do James Bond. Os pais dele estão em Boston e não conseguem um voo de volta para casa devido à nevasca. Isso faz com que Tobin tenha que provavelmente passar o natal sozinho, ou na casa da Duke. Depois de diversas ligações da mãe de Tobin, quem liga é Keun, também amigo deles, que está trabalhando na Waffle House naquela véspera de natal. As informações trazidas por Keun circundam a presença de líderes de torcida na lanchonete naquela noite e que JP e Tobin precisam ir para lá. Os garotos não demoram em se aprontarem para ir e, depois de algum convencimento, Duke acaba concordando com a ideia. O que se segue é uma verdadeira saga dos três para chegarem à Waffle House em meio a todo o caos causado pela neve. Como um leitor recorrente dos livros do John Green, esse conto me decepcionou bastante. A história acaba sendo vazia de informações, apesar de não ser vazia de acontecimentos. No final das contas, esse acabou sendo o conto que eu menos gostei do livro.


“O Santo Padroeiro dos Porcos”, o último conto do livro, de Lauren Myracle, conta a história da Addie. Ela é uma garota de dezesseis anos que está passando pela maior fossa no dia de natal. Addie terminou o namoro há uma semana por causa de um vacilo da parte dela. O namorado em questão, Jeb, estava no mesmo trem da Jubileu, quando ia encontrar a Addie. O trem parou e ele ficou preso na Waffle House tentando entrar em contato com ela. O que ele não consegue fazer, então Jeb resolve mandar um recado para ela pelo Tobin caso ele a veja. Porém, esse não é foco principal do conto. O motivo do término do namoro deles coloca em evidência um certo egoísmo da Addie, que também é ressaltado por diversas outras pessoas durante a história. Apesar de não querer admitir, ela começa a perceber como isso é verdade e precisa se esforçar para melhor. Nesse momento, uma situação envolvendo um (mini) porco se apresenta e ela faz de tudo para mudar. O maior dos três contos se passa no menor espaço de tempo, mas nem por isso é de alguma forma monótono. A história de Lauren é bastante interessante e causa uma, importante, reflexão quanto ao nosso egoísmo.

O mais legal do livro é essa habilidade de juntar três histórias com personagens bem diferentes e de alguma forma conseguir unificá-las. A presença da Waffle House e de uma Starbucks fazem isso, o Homem de Alumínio também é um personagem recorrente nas histórias e é claro todas acontecem na mesma véspera de natal e durante a mesma nevasca. Dito isso, o final, em que as três histórias realmente se juntam, é de longe o melhor do livro. Como um todo, Deixe a Neve Cair não me impressionou muito e não sei se é um livro que eu recomendaria a um amigo. O que ele me trouxe de melhor foi conhecer a autora Maureen Johnson e me deixar curioso quanto aos seus livros. A autora, que tem diversas obras publicadas, ainda não é muito conhecida e, aparentemente, não teve seus livros lançados no Brasil. No geral, o livro não é prioridade de leitura. No entanto, para aqueles que já estão esgotando as possibilidades YA, vale a pena conferir.

Um comentário:

  1. Oi Bel!
    Estou adiando a leitura de "Deixe A Neve Cair" há algum tempo, pelo simples motivo que: estou lendo muito YA e quero dar uma variada nos gêneros, minha lista de leitura tem quase 200 livros e não tem sentido me conter em um só.
    Pelo que você contou, as histórias irão me prender do começo ao fim. Acho tão incrível histórias que se intercalam, dá sempre um novo colorido no enrendo! :)

    Beijos,
    Mari
    http://livrosenerds.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team
alt="Posts Relacionados"/>