27 de abr de 2015

Review semiótica do clipe de Style (Taylor Swift)


Antes de começar, queria dizer algumas coisas; pequenas, mas necessárias.

• A Semiótica é a ciência geral dos signos. Qualquer sistema sígnico está incluso, não tem uma segmentação em relação à abrangência. Estudei superficialmente diversos autores, mas aprofundei o estudo somente na Semiótica Peirceana (que é a que vocês verão nessa review).
• Se você não gosta, não "acredita", não vê sentido algum na Semiótica, eu não faço ideia de como você parou aqui, mas peço que nem leia, pois vai perder seu tempo. 
• Essa review foi publicada em um grupo fechado em fevereiro, alguns minutos após o clipe ser lançado. Não foi feita pra nenhuma pesquisa ou trabalho acadêmico, nem com a intenção de ser completamente formal. Escrevi por puro hobby e amor à semiótica. Muitas pessoas sabem que eu gosto bastante da cantora e esse clipe foi, definitivamente, o meu preferido dela. Enfim, fiquem com a resenha/review. 


Aconselho a abrir uma aba com o clipe para um melhor entendimento.






Vamos começar do começo. O clipe já começa com ela possivelmente nua, num fundo branco. E a projeção dentro da cabeça dela remete às lembranças, pensamentos, memórias, etc. Aí começa a música e na hora já começam os flashes dos momentos que ela compartilhou com ele. E ela ter mostrado o colar já no começo é pra realmente entenderem que sim, é sobre o Harry (porque aparentemente só o nome da música não bastava). Ao mesmo tempo que aparece ela começando a recordar, mostra ele já aparentando uma inquietude. No 0:30, quando ela tá preenchida e trabalhada em woods (galhos, floresta, sombras), já passa a ideia do clipe, das booty calls* e de um relacionamento nas escondidas. Em um dos flashes, quando o vento bate no rosto dela e faz os cabelos voarem pra trás, nos remete à sensação de liberdade, como se ele estivesse libertando ela, ou vendo um lado dela que nem todo mundo conhece. Aí a projeção aparece pra ele também, que já tava inquieto, e remete ao pensamento/lembrança/etc dele. Todas as cenas de flashes são parecidas por serem curtinhas, mal dá 1 segundo por flash, o que faz alusão ao tempo - que passava muito rápido enquanto eles estavam juntos (aliás, vale eu ressaltar aqui que diversas vezes aparece o sol/sunset e em 0:46, quando ela meio que acorda, remete muito ao relacionamento deles, visto que em quase todas as músicas (rumores) de um pro outro eles citam o sol/waking up/afins). Quando ela canta "fade into view, oh" também é importante a parte que ela prefere nem mudar rapidamente a cena, só abaixar a luz, como se ele desaparecendo da vida dela tivesse deixado ela sem rumo, luz, ou guia. O "I should just tell you to leave" mata. Primeiro porque ela já tá com roupa íntima enquanto canta (reforçando a ideia da booty call), segundo porque a projeção aparece no rosto dela trabalhada nos galhos e no escuro, reforçando ainda mais a booty call e o relacionamento às escuras. A cena que antecede o refrão é um espelho quebrado, justamente remetendo à situação que ela não consegue evitar, mesmo vendo todo o cenário chegando e sabendo no que vai dar. E eu preciso mesmo detalhar o 1:17, com a projeção do rosto dele no vestido/corpo dela? 




Em 1:26, quando ela fala "we never go out of style" é genial a fumaça tomando conta da cabeça dela, persuadindo, confundindo e deixando claro o poder que ele tem sobre ela. Em 1:31, quando ela tenta tampar o rosto pra tudo desaparecer, é ele que ela vê. Outra parte genial: em 1:43, quando ela segura um pedaço do espelho e vira pro lado, mas no espelho ela continua olhando fixamente pra frente, remetendo absurdamente à confusão de ideias e a algo que ela não consegue controlar. E aí vem o "so it goes..." e a projeção da estrada no corpo dele... Preciso nem falar nada. Booty call. O 'lights are off / his taking off his coat' só reforça nosso jeitinho de cantar 'taking off his clothes' na hora. E aí ela cita a Some Other Girl™ e ao mesmo tempo ele já vai se despindo, bem como ela querendo ter uma discussão antes de algo rolar e ele mal e mal explicando que a outra foi tão insignificante que não precisou de meio segundo no clipe. E que aí depois dessa específica booty call, piorou bem mais a situação de não conseguir evitar/não ter controle; Assim como os raios que, emocionalmente representados, indicam o desespero diante de uma circunstância. E aí vem a chuva, remetendo apenas à tristeza do afastamento necessário deles, mesmo sendo contra a vontade de ambos. As cenas deles quase juntas em cenários diferentes, de novo indicando o pensamento um do outro. No 3:03, de novo, ela possivelmente nua, virando pra trás e indo embora, enquanto projeta ele no corpo dela e no pôr/nascer do sol (eles têm uma thing com isso; já falei, né?!) e na mesma hora um pássaro voa, indicando a liberdade dos dois. E é MUITO importante que no final ela que segura o espelho, ela tira as mãos do rosto, remetendo apenas à aceitação dela diante da situação de ambos e de um relacionamento conturbado. E aí a vida deles tá ok, mesmo pensando um no outro, e num belo dia ela só chega e espera, porque né... we come back every time. E ela não consegue não voltar. E uma última observação: 90% do clipe é trabalhado no azul, que é uma cor fria, mas mesmo assim passa a sensação de harmonia e de ternura (por isso que o azul é, muitas vezes, escolhido pra ser a cor nos quartos de bebês) com alguns zooms no vermelho, como na cor de batom dela, remetendo ao amor, paixão e intensidade.




*Booty calls, de acordo com o Urban Dictionary: 1. noun: a person with whom one has sex at random times outside of a relationship. 2. verb: the act of calling said person. 3. noun: the term used to refer to said phone call. | 1. jessica is my boody-call. 2. i booty-called jessica last night. 3. jessica got a booty-call from me last night.

Espero que tenham gostado! Beijos 

3 comentários:

  1. Incríveeeeeel!! Também adoro semiótica e quero muito aprender mais a fundo e quem sabe fazer essas análises, também?! Faça sobre mais clipes, por favor! Estou apaixonada por esse clipe e sua análise!
    Beijos!
    http://www.vivendonoinfinito.com/

    ResponderExcluir
  2. Amo o quanto você ama a taylor <3 Me abraça!

    ResponderExcluir
  3. Meu mundo explodiu depois de ver sua review , vou ver style com outros olhos agora.
    Amei,beijos

    ResponderExcluir

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team
alt="Posts Relacionados"/>